Manifesto do Designer gráfico

27 agosto, 2018

Este é o manifesto, meu manual de sobrevivência para o designer gráfico, minha pedra filosofal, meu aprendizado, meu jeito. Ademais pessoalmente, quero assumir essas linhas como um presente para os designers gráficos do mundo. Um presente que eu gostaria de ter recebido quando comecei. Pois acredito que nas noites de incerteza teria servido de bálsamo para mim.

Este manifesto é um presente para aqueles que começam e para aqueles que buscam inspiração. Para aqueles que querem crescer, para aqueles que duvidam e para aqueles que não o fazem.

 

Manifesto do Designer gráfico freelance

  1. – NUNCA faça um trabalho de graça (salvo que você queira, de coração e sem esperar nada em troca).
  2. – Nunca trabalhe em pijama, por mais confortável que seja.
  3. -Fuja das pessoas que lhe dizem para trabalhar para eles, porque eles vão recomendá-lo a outras pessoas. Pense nisso: você recomenda empresas e profissionais que você gosta todos os dias da sua vida, e todos eles cobram, certo? Bem, com designers gráficos, funciona exatamente da mesma maneira. Se o seu cliente vai te recomendar a alguém, BELEZA!! Pois isso é o que as pessoas fazem quando estão felizes, elas recomendam outras pessoas, mas isso não tem absolutamente nada a ver com o fato de você pagar ou não pelos seus serviços.
  4. – Crie seu próprio estilo de trabalho, pesquisa, pesquisa, pesquisa. (E você será conhecido e reconhecido por isso). “Demorei quatro anos para pintar como Rafael, mas levou uma vida inteira para aprender a desenhar como uma criança.” Picasso
  5. Não permita que seus clientes liguem para você de madrugada ou interrompam o horário do almoço. Estabeleça horários para trabalhar e responder e-mails.
  6. – Aprenda a valorizar seu próprio trabalho. (Seu tempo é muito importante: se você não valoriza seu tempo, você não valoriza seu trabalho).
  7. – Faça a melhor apresentação que puder. (Saber como vender o seu design é tão importante – ou mais – do que o seu trabalho em si. Use recursos como modelos para suas apresentações e treine sua redação para saber como comunicar corretamente por e-mail os benefícios de seu design).
  8. – Principalmente: não dependa de um único cliente. Nunca!
  9. – Tenha um site pessoal com seus melhores trabalhos atualizados. (Não tenha um site gratuito como aqueles que você já conhece, se você quer ser profissional, comece a se parecer com um profissional).
  10. – Não discuta sobre um design ou contradiga seu cliente ou chefe por um longo tempo. (Exponha seu ponto de vista e defenda-o com bons argumentos, mas se eles não caírem em juízo, faça o seu melhor para terminar o trabalho o quanto antes.) Não leve seu design como algo pessoal, quase nada é, seu tempo e, acima de tudo, seu equilíbrio mental, eles são importantes).
  11. – BÔNUS! Aproveite o seu trabalho, você tem a capacidade de criar, isso é algo que poucas pessoas podem dizer em seus negócios. Se você não gosta de seus clientes, então procure outras pessoas. Se você acha que cobra pouco, tente cobrar mais. Se você acha que seus clientes não o respeitam, aprenda a negociar. Se você ficar preso a um projeto, saia de lá e volte daqui a pouco ou no dia seguinte. Se tudo isso falhar, faça como eu, feche seu escritório e vá ao redor do mundo indefinidamente enquanto estiver trabalhando remotamente; afinal se você não encontrar inspiração, pelo menos você terá um ótimo momento. 🙂

Nunca esqueça aquilo no que você acredita para poder chegar onde você quer ir

Gostou do manifesto do designer gráfico freelancer? Lembre-se de deixar seu e-mail na caixa de assinatura para receber as atualizações diretamente na sua caixa de entrada.

Também pode me acompanhar no Instagram. Muito obrigada pela leitura. Até mais…

Ultimos posts
27 agosto, 2018
27 agosto, 2018
error: Content is protected !!